Tags: Ensino Superior

Você está insatisfeito com seu curso e pensa em fazer transferência de faculdade? Neste artigo, explicamos como funciona esse processo!

É muito comum que alguns estudantes se frustrem com o curso ou com a universidade em que estudam, desejando, assim, trocar de faculdade. 

Esse processo de mudança envolve muitas dúvidas e incertezas, tanto pela decisão a ser tomada quanto pelo próprio funcionamento do processo de transferência. 

Pensando nisso, o EAD PUCPR explica detalhadamente como funciona o processo de transferência de faculdade e como saber se essa é a melhor decisão. 

Confira:
Como saber que é a hora de pedir transferência de faculdade 
Transferência de faculdade é um direito do estudante do ensino superior 
Documentação necessária para pedir transferência da faculdade 
Conclusão

transferencia-de-faculdade - jovem com semblante de preocupação em frente aos livros

Como saber que é a hora de pedir transferência de faculdade 

Por mais que desperte muita ansiedade e insegurança em muitos estudantes, trocar de faculdade é um processo normal. É muito comum não acertar na primeira vez, principalmente quando o assunto é um curso superior.

Muitos estudantes saem do ensino médio diretamente para a faculdade, tendo que escolher seu curso, futura profissão e universidade de forma muito rápida. 

Em função disso, alguns equívocos podem acontecer, muitas vezes ocasionados pela pressão familiar ou ideias distorcidas do mercado de trabalho.

Contudo, mesmo insatisfeitos, muitos estudantes têm dificuldade para identificar o momento de fazer a mudança e pedir transferência. 

Pensando nisso, elencamos abaixo alguns dos principais sinais de que é hora de pedir transferência de faculdade. Confira:

  • Desmotivação 

Você está deixando os trabalhos da faculdade acumular, está sempre desatento nas aulas e não consegue manter o foco no momento dos estudos? Tudo isso pode ser um sinal de desmotivação.

Quando um estudante está desmotivado com relação ao seu curso, é comum que ele se torne relapso em relação às obrigações acadêmicas. 

Ao chegar nesse nível de desinteresse, é bem provável que seja o momento de repensar suas escolhas, considerando trocar de graduação. 

No entanto, antes de decidir pela mudança, certifique-se de que essa desmotivação não está sendo causada por problemas pessoais ou relacionados com a estrutura da universidade.  

Todos esses pontos devem ser considerados na hora de tomar a decisão de trocar ou não de faculdade. 

  • O curso não atendeu suas expectativas

Ler sobre um curso na internet e conhecer sua grade curricular são ações muito diferentes de vivenciá-lo na prática. 

É muito comum que alguns estudantes se frustrem ao começar a cursar uma graduação. Afinal, as disciplinas podem ser diferentes do que foi idealizado. 

Além disso, o ser humano está em constante mudanças. 

Nossos interesses e afinidades podem mudar, logo é comum que aquilo que gostávamos antes se torne menos atraente em um futuro próximo. 

Dessa forma, pode acontecer de um curso não atender às expectativas, sendo muito natural desejar uma mudança. 

Ou seja, se o seu curso atual não está atendendo às suas expectativas, pode ser o momento de considerar uma transferência.

  • A modalidade de ensino não se adequa com a sua rotina

Atualmente, existem três modalidades de ensino: presencial, semipresencial e EAD

Apesar de existirem três possibilidades, muitas pessoas acabam optando pelo presencial sem ao menos conhecer as outras. 

Mesmo que seja o mais tradicional, os cursos presenciais nem sempre são a melhor opção. 

Muitos estudantes têm que conciliar os estudos com o trabalho, tendo horários muitos restritos. E o ensino presencial, com a necessidade de deslocamento e horários fixos, torna essa rotina muito mais difícil. 

Para esses estudantes, as modalidades semipresencial e EAD oferecem mais flexibilidade e autonomia para planejar sua rotina de estudos.  

Ou seja, muitas vezes, não é nem o curso que desagrada o estudante, mas a modalidade de ensino oferecida pela universidade que não está adequada às suas necessidades. 

  • A universidade está deixando a desejar

Muitas vezes, o problema não está no curso que é desinteressante ou desalinhado com as expectativas, mas sim na estrutura da instituição de ensino. 

Mesmo que o MEC (Ministério da Educação) estabeleça critérios básicos sobre grade curricular e funcionamento dos cursos, as universidades têm bastante liberdade quanto ao corpo docente e às metodologias de ensino. 

Em função disso, pode acontecer de alguns estudantes não se encaixarem ou se identificarem com o perfil da universidade.

Esses são só alguns dos motivos que podem sinalizar que está na hora de realizar transferência. 

A principal motivação para tomar essa decisão deve partir de você mesmo. Para isso, é preciso passar por um processo de autoconhecimento, avaliando suas necessidades, desejos e perspectivas para o futuro. 

Transferência de faculdade é um direito do estudante do ensino superior

Independente do motivo, é importante ressaltar que o processo de transferência, seja de curso ou universidade, é um direito de todos os estudantes. 

Confira o que diz a Lei nº 9.394/96 sobre transferência de estudantes:

“Art. 49. As instituições de educação superior aceitarão a transferência de estudantes regulares, para cursos afins, na hipótese de existência de vagas, e mediante processo seletivo”.

Ou seja, existindo vagas, os estudantes poderão realizar transferência entre cursos afins (que sejam da mesma área do conhecimento: humanas, exatas ou biológicas), por meio de um processo seletivo. 

Abaixo, explicamos mais sobre os dois tipos de transferências:

Transferência Interna 

A transferência interna acontece dentro da própria instituição, quando o estudante deseja migrar de um curso para outro. Nesse caso, os estudantes devem contatar a própria instituição para realizar o processo de transferência. 

Transferência externa

A transferência externa, também chamada de transferência voluntária, acontece quando o estudante muda de uma universidade para outra. Nesse caso, o estudante interessado deverá buscar informações junto à universidade para a qual deseja se transferir.

transferencia-de-faculdade-como-fazer - capelos sendo jogados em direção ao céu

Documentação necessária para pedir transferência da faculdade 

Se um estudante deseja mudar de universidade ou curso, o primeiro passo é realizar o pedido de transferência junto à instituição na qual ele está matriculado. 

Para aqueles que vão realizar transferência interna, o processo costuma ser mais simples, por envolver apenas uma instituição. Normalmente, só documentos básicos como RG, CPF  e histórico do curso são requisitados.

Já a transferência externa é um pouco mais complexa, e a documentação necessária deve ser consultada com a instituição de destino. Na maioria dos casos, as exigências incluem documentos pessoais, de matrícula e o histórico acadêmico na faculdade

Abaixo, esclarecemos algumas das dúvidas mais comuns sobre os processos de transferência:

  • Preciso fazer um novo vestibular? 

Normalmente, transferências internas não costumam exigir um novo vestibular. O mais comum é que se utilize a mesma nota da prova anterior para o processo seletivo de transferência.

As transferências externas, contudo, costumam exigir uma nova prova para atestar as habilidades e conhecimentos do estudante. 

Em alguns casos, a nota do Enem pode ser utilizada em situações de transferência.

  • É possível aproveitar as disciplinas após a transferência de faculdade? 

Quando as grades curriculares dos cursos são semelhantes, é possível aproveitar algumas disciplinas já cursadas.

Contudo, se as áreas de conhecimento forem muito diferentes, é bem possível que o estudante aproveite poucas disciplinas. 

Os critérios de aproveitamento de disciplinas variam de acordo com cada instituição.

  • E como fica o Fies e o ProUni? 

Para aqueles que usufruem de algum programa do Governo, como o Prouni e o FIES, também é possível realizar transferência e manter os benefícios. Confira os critérios:

Prouni

Os alunos bolsistas do Prouni estão aptos a fazer a transferência. 

Porém, é necessário que tanto a instituição de origem quanto a de destino estejam de acordo com a troca.

Outra exigência é que a nova instituição e o curso desejado também estejam credenciados no programa, além de terem vagas disponíveis.

É importante ressaltar que não é permitido fazer a transferência de bolsista parcial para integral e vice-versa.

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) também permite que estudantes que estão financiando o curso possam pedir transferência de faculdade. 

Nesse caso, as regras são as seguintes: 

  • transferências internas só podem ser solicitadas uma única vez
  • as transferências externas podem ser feitas uma vez a cada semestre
  • O pedido deverá ser feito a partir do último mês referente ao semestre que o estudante está cursando, de modo que a troca comece a valer no período seguinte.

 

  • O processo de transferência é pago ou gratuito?

Normalmente, quando há realização de uma prova, costuma ser cobrada uma taxa referente ao valor de inscrição, mas isso depende de cada instituição. 

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre transferência de faculdade, explicando como funciona e para quem é indicado essa mudança. 

Entrou em outra instituição utilizando o ProUni? Você pode transferir sua graduação para PUCPR e receber bolsas integrais (100%) ou bolsas parciais (50%). 

Para mais informações, clique aqui


📖 Você pode se interessar também:

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Inscreva-se no Blog do EAD PUCPR

New call-to-action

Saiba como virar
um grande profissional:

ead pucpr
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.