Alguma vez você já duvidou da sua inteligência?

Talvez você não tenha sido o melhor da turma na aula de Matemática, ou sempre preferiu Educação Física à aula de História, e por isso nunca se considerou uma pessoa inteligente.

A verdade é que o que a gente conhece normalmente por “inteligência” é apenas uma das
diversas formas de ser inteligente.

Quando alguém é bom em Matemática, por exemplo, consideramos que esta pessoa tem uma inteligência lógico-matemática. Mas quem prefere o esporte tem a inteligência físico-cinestésica.

Durante muito tempo, a sociedade valorizou muito a inteligência lógico-matemática, mas no
mercado de trabalho ela nem sempre é a que se destaca.

Hoje em dia, uma das mais importantes para os profissionais é a inteligência interpessoal, que é a habilidade de se relacionar e de ter um convívio agradável com outras pessoas.

ead pucpr

Teoria das Inteligências Múltiplas

A ideia de que existem mais formas de demonstrar inteligência do que apenas através da
lógica e da matemática foi apresentada pelo psicólogo Howard Gardner em 1983.

A teoria de Gardner, chamada de Teoria das Inteligências Múltiplas, revolucionou os
estudos sobre aprendizado. Antes dela, o padrão mais aceito para medir inteligência eram
os tradicionais testes de QI, criados no início do século XX por Alfred Binet.

Este tipo de teste, utilizado até hoje, mede a capacidade de resolver problemas
lógico-matemáticos em um certo período de tempo. Mas naquela época acreditava-se
inclusive que quem fosse bem em um teste de QI também teria facilidade com o uso das
palavras, que hoje chamamos de inteligência linguística.

Para desenvolver sua teoria, Gardner se baseou no trabalho de Robert Sternberg que
estudava o conceito de inteligência em diferentes culturas, e também na observação do
trabalho de pessoas consideradas “gênios”.

Assim, o psicólogo concluiu que são poucas as pessoas que sabem muito de tudo, mas que muitas brilham em uma habilidade específica. Segundo o pesquisador, existem sete tipos de inteligência:

  1. Inteligência lógico-matemática
  2. Inteligência linguística
  3. Inteligência espacial
  4. Inteligência físico-cinestésica
  5. Inteligência interpessoal
  6. Inteligência intrapessoal
  7. Inteligência musical

Gardner posteriormente acrescentou as inteligências natural e existencial, conforme foi
desenvolvendo sua teoria.

Todos os indivíduos têm as sete inteligências mapeadas por Gardner em maior ou menor
grau e algumas delas são essenciais para a profissão que escolhemos. Enquanto um
tradutor precisa de uma boa inteligência linguística, alguém com inteligência espacial e
lógico-matemática pode se dar bem como desenvolvedor de jogos.

Soft Skills, ou habilidades subjetivas

Existe uma inteligência que se destaca das demais por ter um papel relevante em
praticamente todas as profissões: a inteligência interpessoal.

Essa habilidade combinada com a inteligência intrapessoal (ou seja, o conhecimento sobre nós mesmos), é importante porque, hoje em dia, todos os cargos exigem uma boa relação entre pessoas.

Isto é tão importante no mundo do trabalho e dos Recursos Humanos que as habilidades que envolvem o convívio, a comunicação e o autoconhecimento, receberam um nome só para elas: as soft skills, ou habilidades subjetivas.

Aquelas habilidades tradicionais, como saber escrever, dirigir ou usar uma ferramenta, são chamadas de hard skills, na tradução literal do inglês: habilidades duras.

Elas são consideradas “duras” porque são fáceis de mensurar.

Por exemplo, você consegue medir o quanto você sabe mexer no Microsoft Excel, e se uma vaga de emprego pede por um bom conhecimento na ferramenta, é fácil ver se você se encaixa ou não no perfil.

Já as soft skills, traduzidas como habilidades “leves” ou “suaves”, são estas que precisam ser desenvolvidas ao longo dos anos, sendo subjetivas e difíceis de mensurar. Elas têm um papel significativo em tudo que fazemos, desde os trabalhos escolares até a promoção a um cargo de direção.

São elas: a empatia, a capacidade de colaboração, o controle e conhecimento das emoções, a resiliência, a flexibilidade, entre outras.

A inteligência interpessoal é a característica que rege essas habilidades, já que ela é
responsável por sabermos lidar bem com os outros e trabalhar bem em equipe. Por causa disso, ela ganhou esta grande importância no mercado de trabalho e é preciso saber desenvolvê-la.

>>> Saiba mais sobre soft skills e hard skills.

estudante mulher pensativa

Como desenvolver a inteligência interpessoal?

Assim como todas as outras inteligências, uma boa inteligência interpessoal não é uma
característica de todos. Isto não significa que há algo de errado com você: ninguém é bom
em todas as áreas e cada indivíduo tem diferentes habilidades.

Mesmo assim, sabendo que a inteligência interpessoal é tão importante, é necessário fazer
alguns exercícios para desenvolvê-la. A melhor maneira de fazer isto é treinando com
situações que exigem soft skills.

Interaja com mais pessoas

É normal ficar tímido ao chegar em um lugar novo, ou estar confortável com os amigos que
pensam de forma semelhante. Para desenvolver a habilidade interpessoal, entretanto, é
preciso estar aberto a novas pessoas e pensamentos.

Participe de mais trabalhos em equipe

Pode ser que você não gostasse de fazer este tipo de trabalho na escola, mas é uma das maneiras mais úteis de se preparar para o mercado de trabalho. Para quem já é adulto, uma boa ideia é pensar em um projeto em equipe com algum dos seus hobbies.

Utilize a escuta ativa

Quando se recebe um feedback, ou até mesmo em uma conversa qualquer, é comum que se fique pensando no que vai ser dito em seguida ou buscando uma explicação para o que ocorreu. Para desenvolver sua inteligência interpessoal, tente prestar muita atenção no que a outra pessoa está falando, e só depois responda.

Busque apoio profissional

Você não precisa buscar ajuda apenas quando tem um problema para resolver. Querer
melhorar suas habilidades interpessoais é um ótimo motivo para consultar um psicólogo ou decidir por uma sessão de coaching. Busque o que mais se adapta a você.

Profissões para quem tem alta inteligência interpessoal

Como vimos, a inteligência interpessoal tem um papel importante em todas as profissões.

Contudo, existem algumas carreiras que exigem que essa inteligência esteja muito bem
desenvolvida, como, por exemplo:

● Vendedores;
● Professores;
● Comunicadores;
● Psicólogos;
● Atores;
● Diplomatas;
● Políticos;
● Médicos;
● Advogados.

Além disso, é importante lembrar que a inteligência interpessoal é indispensável para liderar um time (ou uma organização inteira), e por isso é valorizada nos cargos de direção.

Quem tem esta capacidade pode considerar essas profissões, mas a falta dela não é
impeditivo. Não esqueça que é possível cultivar a inteligência interpessoal e desenvolver suas soft skills.

Quer saber mais sobre as habilidades que você precisa fortalecer para ser um profissional de sucesso?

Confira nosso post sobre Habilidades Profissionais e invista na sua carreira

New call-to-action

Inscreva-se no Blog do EAD PUCPR

New call-to-action

Saiba como virar
um grande profissional:

ead pucpr
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.