Tags: Ensino Superior

Se você está se preparando para entrar na faculdade, certamente deve estar pesquisando sobre os processos seletivos e formas de ingresso no ensino superior. Nesse processo, é bem possível que você tenha se deparado com a seguinte questão: qual a diferença entre vestibular e Enem?

Neste artigo, explicamos como funcionam cada um desses modelos de prova. Fique conosco e confira:

Como funcionam os vestibulares tradicionais 
Como funciona o Enem 
A diferença entre vestibular e Enem 
Vestibular ou Enem: qual usar para ingressar na universidade? 
Conheça as formas de ingresso do EAD PUCPR

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

Como funcionam os vestibulares tradicionais 

O vestibular foi por muito tempo a forma mais tradicional de acessar o ensino superior

Ele é basicamente uma prova, com questões objetivas e/ou redação, desenvolvida pelas próprias universidades em seus processos seletivos de novos alunos.  

Os candidatos com as notas mais altas no vestibular são selecionados para ocupar as vagas nas universidades.

Cada universidade tem liberdade para elaborar o seu próprio vestibular. Ou seja, não existe um modelo padrão que deve ser seguido por todas. 

Contudo, os mais tradicionais costumam cobrar conhecimentos nas áreas de exatas, humanas, biológicas e linguagens, além de uma redação. O número de questões e tempo de prova dos vestibulares também é variável. 

Há vestibulares de fase única e outros divididos em duas etapas eliminatórias: uma para testar os conhecimentos gerais e outra para os específicos. 

Por isso, caso você opte por fazer um vestibular ou mais de um, é importante estudar bem o modelo e resolver provas anteriores para ficar familiarizado com o concurso.

Como funciona o Enem

Antes de tudo, é importante ressaltarmos: o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), por si só, não é um processo seletivo. É a nota do exame que pode ser usada para concorrer a vagas nas universidades. 

Por isso, apenas fazer a prova do Enem não garante vaga em nenhuma universidade. Para isso, é preciso se inscrever nos processos seletivos que utilizam a nota do exame. Na sequência, falaremos mais sobre eles. 

O Enem foi criado para avaliar a qualidade do ensino médio no Brasil e continua a ter esse objetivo até hoje. 

No entanto, ao longo do tempo, o Enem ganhou importância e passou a ser usado também como critério de classificação em diversos processos seletivos para ingresso no ensino superior – substituindo o vestibular em muitas universidades, inclusive. 

O Enem é aplicado em dois domingos, entre outubro e novembro, todos os anos. Ao todo, o exame tem 180 questões de múltipla escolha, que são distribuídas em quatro áreas do conhecimento:

  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Biologia, Química e Física;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Filosofia e Sociologia;
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Português, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol); Artes, Educação Física e Tecnologias de Informação e Comunicação;
  • Matemática e suas Tecnologias.

Além de responder às perguntas, os estudantes também devem produzir uma redação dissertativa sobre um tema proposto no momento da prova. 

Só depois de realizar a prova do Enem e receber a nota do exame que os estudantes podem usar o seu desempenho para ingressar no ensino superior. 

Abaixo, apresentamos os principais processos seletivos que utilizam a nota do Enem:

Sisu

O candidato que fez a edição mais recente do Enem e não zerou a redação pode se inscrever no Sisu (Sistema de Seleção Unificada). 

Ele é um programa do Ministério da Educação (MEC) que oferece vagas em universidades públicas de todo o Brasil sem precisar fazer o vestibular próprio da instituição.

Ou seja, se você quer tentar vagas em mais de uma universidade pública, não é necessário fazer mais uma maratona de provas, basta o Enem.

O processo seletivo do Sisu é totalmente automatizado e utiliza as notas do Enem para classificar os candidatos — ou seja, só entram aqueles que tiverem a pontuação mais alta. 

A participação é gratuita e a seleção acontece duas vezes por ano.

Prouni

O Prouni (Programa Universidade para Todos) é um programa do Governo Federal criado para conceder bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de ensino superior.

Além de ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota maior do que zero na redação, podem concorrer às bolsas de estudos do programa aqueles que atenderem aos critérios de renda familiar e escolaridade estabelecidos.

Diversas universidades privadas aderem ao ProUni, que também acontece duas vezes ao ano.

Assim, se você deseja estudar em uma universidade particular com bolsa de estudos, se inscrever no Prouni é a melhor alternativa. 

FIES

A nota do Enem também é usada como critério para seleção do FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). 

O FIES é um programa do MEC, criado em 1999, destinado a financiar a graduação de estudantes matriculados em instituições de ensino superior particulares. Os valores financiados só começam a ser pagos depois da formatura, com prazo longo e juros baixos. 

Para concorrer ao programa, é preciso ter feito qualquer Enem a partir de 2010, desde que tenha alcançado desempenho de pelo menos 450 na média das provas e nota acima de zero na redação. Assim como o ProUni, o FIES também tem critérios de renda familiar. 

A seleção ocorre duas vezes por ano.

A diferença entre vestibular e Enem 

diferença entre vestibular e Enem - pessoa preenchendo grade de prova

Agora que você já sabe como funcionam os vestibulares e o Enem, vamos entender mais sobre a diferença entre esses modelos?

Se pudéssemos elencar a principal diferença entre o Enem e os vestibulares, certamente seria o propósito para o qual cada uma dessas provas foi criada. 

O Enem surgiu em 1998 com o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes matriculados no ensino médio. Já os vestibulares sempre foram realizados com o único objetivo de ser um processo seletivo para ingresso em cursos superiores.

Só depois de quase 20 anos o Enem passou a ser utilizado nos processos seletivos do ensino superior. Atualmente, os programas do governo – aqueles que mencionamos no tópico anterior – são os que mais utilizam a nota do exame, oferecendo vagas, bolsas e financiamento para cursos de graduação. 

Outra diferença importante entre vestibular e Enem está nas possibilidades que os modelos oferecem. 

Fazendo o Enem, é possível concorrer a vagas, bolsas e financiamentos em várias instituições de ensino. Já aqueles que fazem o vestibular, só podem concorrer a vaga na instituição que está aplicando a prova.  

Um ponto negativo, contudo, em relação ao Enem é que a inscrição no exame não garante a disputa pelas vagas. Os participantes do Enem precisam fazer a inscrição no Sisu, Prouni, FIES para concorrer a uma vaga no curso dos sonhos.

Ou seja, se você optar pelo Enem, fique atento aos prazos de inscrição de cada um desses programas!

Vestibular ou Enem: qual usar para ingressar na universidade? 

Abaixo, trazemos algumas dicas para ajudar na sua escolha:

Opte pelo Enem se você quer:

  • Ter mais chances de conseguir vaga em um curso superior.
  • Poder entrar em qualquer universidade do Brasil que aceite a nota do Enem.
  • Poder escolher um entre os vários cursos disponíveis e mudar de ideia enquanto o processo seletivo ainda estiver rolando.
  • Usar a nota para outras finalidades, como obtenção de bolsa, financiamento ou certificação.
  • Ter mais oportunidades de ingressar no curso desejado ao longo do ano.

Opte pelo vestibular se você:

  • Tem certeza de qual curso quer fazer.
  • Já sabe em qual faculdade quer estudar.
  • A instituição onde você pretende entrar não aceita a nota do Enem.

Lembra-se de que você pode fazer tanto o vestibular quanto o Enem, você não precisa escolher só um dos modelos. 

Ao fazer os dois, você aumenta suas chances de conseguir a vaga no curso dos seus sonhos.

Conheça as formas de ingresso do EAD PUCPR

Aqui no EAD PUCPR, temos diversas formas de ingresso para facilitar sua entrada no ensino superior. Conheça quais são:

Use sua nota do Enem

Com a sua nota do Enem a partir de 2010, é possível entrar na graduação EAD sem vestibular e com bolsa de até 25%*.

*A nota mínima exigida é de 450 pontos. Bolsa desempenho conforme nota do Enem com duração de um semestre, até junho/2022, e não cumulativa. Nota sujeita à análise junto ao INEP. Válido para novos estudantes. Se o curso escolhido contar com uma bolsa de maior valor, permanece válida a condição mais vantajosa para o estudante.

Prouni

Você fez Enem em 2021? Se inscrevendo no ProUni você pode garantir bolsas integrais (100%) e bolsas parciais (50%) no EAD PUCPR!

Vestibular Agendado

Se você deseja fazer o vestibular de maneira presencial, basta agendar a melhor data e horário para vir até a instituição. O resultado sai na hora!

Processo Seletivo 100% Online

Também é possível entrar na graduação sem sair de casa! Envie sua Carta de Intenção explicando por que deseja estudar no EAD PUCPR, além do seu Histórico Escolar. Depois, é só fazer a sua matrícula e começar a estudar.

Transferência Prouni

Entrou em outra instituição utilizando o Prouni? Você pode transferir sua graduação para o EAD PUCPR e receber bolsas integrais (100%) ou bolsas parciais (50%)!

Transferência para PUCPR

Mude para o EAD PUCPR e atenda às suas expectativas de ter conhecimento com qualidade. Você poderá aproveitar ou dispensar disciplinas mediante avaliação, além de ganhar bolsa de 30%*.

*Bolsa válida para todas as mensalidades do primeiro semestre (até junho/2022) e não cumulativa. Oferta vigente para novos estudantes ingressantes via Transferência. Se o curso escolhido contar com uma bolsa de maior valor, permanece válida a condição mais vantajosa para o estudante.

Segunda Graduação (formado em outra instituição)

Se você já fez uma graduação, não é necessário prestar novo vestibular para ingressar no EAD PUCPR. Use o seu diploma de ensino superior e ganhe bolsa de 20%* em todo o curso.

*Bolsa válida para todas as mensalidades do curso, não cumulativa e vigente para novos estudantes. Se o curso escolhido contar com uma bolsa de maior valor, permanece válida a condição mais vantajosa para o estudante.

Egresso (Ex-aluno formado na PUCPR)

Se você deseja fazer uma segunda graduação e é ex-aluno formado na PUCPR, venha para o EAD sem burocracia! Você ainda garante 30%* de bolsa em todo o seu curso!

*Bolsa válida para todas as mensalidades do curso, não cumulativa e vigente para novos estudantes. Se o curso escolhido contar com uma bolsa de maior valor, permanece válida a condição mais vantajosa para o estudante.

Não deixe de conferir também nossas opções de cursos EAD e as bolsas de estudos a que você pode concorrer! 

Venha estudar no EAD PUCPR!

Use sua nota do ENEM para ganhar uma bolsa de estudos!

Inscreva-se no Blog do EAD PUCPR

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

Modelo de currículo para
conquistar a vaga dos sonhos:

New call-to-action
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.