Tags: Dicas

Você sabe como fazer anotações em aula?

É bem possível que na época escolar muitos professores, e até mesmo seus pais, tenham sugerido que você anotasse os conteúdos como forma de potencializar o aprendizado. 

Seja no contexto escolar ou acadêmico, essa prática pode auxiliar muito na memorização do conteúdo, além de ajudar a manter a concentração no que está sendo dito. 

Não é à toa que muitos profissionais levam esse hábito para a vida profissional. Quantas vezes você já viu pessoas com bloquinhos de anotação, tablets e notebooks em palestras, workshops e reuniões de trabalho? Provavelmente muitas! 

Fazer anotações é uma ótima forma garantir que o conhecimento sobre um assunto seja retido, além de ser uma boa fonte de consulta. 

Contudo, muitos estudantes e profissionais ainda têm dificuldade em realizá-las, não sabendo, muitas vezes, como começar. 

Neste artigo, vamos explicar como fazer anotações eficientes e potencializar seu aprendizado. Fique conosco e confira as dicas do EAD PUCPR. 

Confira:
Por que anotar o conteúdo da aula é tão importante?
À mão ou digitando: qual o melhor jeito de fazer anotações? 
Dicas de como fazer anotações nas aulas
Conclusão

como-fazer-anotacoes - mesa vista de cima com mão sob caderno, café e fones

Por que anotar o conteúdo da aula é tão importante?

Durante as aulas, é muito comum que os professores aprofundem e tragam diversas informações sobre determinado conteúdo, sendo completamente compreensível que nem tudo seja absorvido. 

Dessa forma, fazer anotações pode ser uma ótima ferramenta para reter melhor o conhecimento e aperfeiçoar seu processo de aprendizado. 

Afinal, ao fazer uma anotação, o estudante tem que obrigatoriamente assimilar o conteúdo para poder reproduzi-lo, escrevendo com as suas próprias palavras.

Esse movimento permite a memorização dos conhecimentos, tornando o aprendizado mais duradouro.

Além disso, as anotações podem ser conferidas no futuro, otimizando o processo de estudos para provas e trabalhos, por exemplo. 

Ou seja, fazer anotações é muito importante para ter um processo de aprendizagem mais eficaz.

À mão ou digitando: qual o melhor jeito de fazer anotações? 

Atualmente, com a popularização dos smartphones e as novas tecnologias, é muito comum ver as pessoas deixando o papel e a caneta de lado na hora de fazer anotações. 

Quantas vezes você já viu um colega tirando foto da lousa, por exemplo? Ou utilizando o celular para gravar a fala do professor? Com a facilidade da tecnologia disponível, cada vez mais pessoas estão optando por essas táticas.  

Contudo, é muito comum que esses conteúdos salvos nos celulares permaneçam intocados, não é mesmo? Dessa forma, escrever, seja à mão ou no formato digital, ainda parece ser a melhor opção para as anotações. 

Mas afinal, é melhor escrever ou digitar?

Não existe uma resposta 100% correta para essa pergunta. Afinal, há estudos que corroboram a ideia de que escrever é melhor do que digitar, enquanto outros mostram que anotar no computador é mais eficaz.

Digitar certamente é mais rápido do que escrever, mas isso não quer dizer que este seja o melhor método.

Por mais que escrever à mão seja um processo um pouco mais lento e trabalhoso, é exatamente essa característica que pode facilitar a assimilação do conteúdo.

Para escrever, é preciso se concentrar um pouco mais, o que faz com que o foco no conteúdo seja naturalmente maior também.

No meio científico, não existe um consenso sobre o assunto. No entanto, diversas pesquisas apontam a favor das anotações à mão. 

A revista Scientific American revelou um experimento feito por um psicólogo.

Durante uma palestra, foi solicitado que um grupo de alunos tomasse notas com papel e caneta, enquanto o outro usaria um notebook. 

Após o evento, os voluntários foram interrogados acerca do que viram. Na resposta, os que anotaram com papel e lápis tiveram um desempenho bem melhor.

Cientistas da Noruega também tiveram resultados semelhantes em seus experimentos. 

Eles constataram que quem escreve uma informação à mão se lembra mais dela do que se tivesse apenas digitado. 

A explicação é que a escrita manual demanda mais esforço e concentração do cérebro, favorecendo o processo de aprendizagem.

Além disso, escrever é melhor do que digitar caso você se distraia facilmente com notificações no smartphone ou no notebook, por exemplo. 

Resumidamente, não podemos afirmar que existe um método melhor do que o outro, mas há mais pesquisas favoráveis às anotações à mão do que digitadas. 

Nossa sugestão é utilizar os dois métodos e avaliar qual funciona melhor para você. 

Dicas de como fazer anotações nas aulas

Agora que você já entende a importância de tomar notas, vamos explicar como fazer anotações durante as aulas. Confira:

Identifique conceito-chave da aula

Para começar as anotações, o primeiro passo é determinar o tema central da aula. Isso ajuda a identificar rapidamente do que se trata as suas anotações.

Anote na parte superior da folha a data, a matéria e o título correspondente ao conteúdo que será exposto, por exemplo: “Regra dos Porquês”, “Era Vargas”, “Função de 1º grau”.

A partir desse assunto central, é possível aplicar um sistema de tópicos, encadeando as ideias que são apresentadas pelo professor ao longo da aula.

Determine os pontos mais relevantes

Ao longo da aula, é comum que o professor traga diversas informações, sendo praticamente impossível anotar tudo. Na verdade, isso nem seria produtivo em termos de estudos. 

Por isso, é muito importante saber identificar os pontos mais relevantes do conteúdo ao longo da fala do professor. 

Para fazer isso, é preciso estar atento à exposição oral. Afinal, é comum que os professores deem pistas ou indicações sobre aquilo que merece uma atenção especial. Um tom de voz enfático ou uma dicção mais pausada também podem ser indícios de que a informação a ser exposta é importante.

Além disso, com frequência, o professor escreve no quadro aqueles conteúdos que devem ser registrados de forma literal: definições, fórmulas, esquemas. Certifique-se de anotá-los corretamente. 

como-fazer-anotacoes - mãos anotando em caderno em meio a uma palestra

Não copie 

Esse é um ponto muito importante! Ao fazer uma anotação, você não precisa escrever tudo o que está sendo dito pelo professor. 

Pode parecer estranho, mas quanto menos você escrever, melhor será para seu processo de memorização.

Isso acontece porque simplesmente copiar é um método muito passivo de estudo. Quando você usa suas palavras para anotar, sintetizar, criar símbolos ou qualquer coisa do tipo, seu aprendizado aumenta e a memorização ocorre com mais facilidade. 

Ou seja, procure selecionar a informação e reformulá-la com suas próprias palavras. O principal é escrever de forma clara e sucinta. 

Atente-se a organização das anotações

Além do conteúdo, é importante também se atentar à forma das anotações. 

Procure sempre distinguir os diferentes tópicos e empregar subtítulos específicos para cada um. Assim, você facilita seu estudo e garante que compreenderá suas anotações mesmo muito tempo depois de fazê-las. 

É conveniente também deixar um espaço em branco entre os tópicos.

Além disso, se fizer parte do seu repertório, também vale utilizar abreviaturas e símbolos na hora de anotar. 

Conclusão

Neste artigo, explicamos como fazer anotações, trazendo os benefícios da prática para os estudos. 

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de conferir outros textos do EAD PUCPR:

New call-to-action

Inscreva-se no Blog do EAD PUCPR

New call-to-action

Saiba como virar
um grande profissional:

ead pucpr
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.